Bullyng Como um Subtipo de Violência no Âmbito Escolar e Suas Repercussões no Campo da Saúde e do Direito

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn
Taiza Ramos De Souza C. Ferreira, Tatiane Tavares Da Silva

Resumo

Neste texto buscamos apresentar uma abordagem sobre as práticas de violência contra crianças e adolescentes, delimitando-se ao fenômeno Bullying como uma das formas de violência praticadas contra esses atores sociais, onde apresentaremos sua definição, em que momento essa discussão aparece na história, bem como as características desta prática. As autoras fazem uma reflexão sobre as repercussões sociais no cotidiano das crianças e adolescentes vítimas de Bullying. Abordaremos aspectos das Leis Brasileiras, destacando alguns estados e municípios, e ainda, algumas leis internacionais de combate ao Bullying, destacando Estados Unidos, Portugal e Reino Unido.

Continuar lendo Bullyng Como um Subtipo de Violência no Âmbito Escolar e Suas Repercussões no Campo da Saúde e do Direito

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn

A Responsabilidade Da Prática Pedagógica Do Educador

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn
Alcione Pereira Martins

Resumo

O presente artigo trata da responsabilidade que o educador assume ao trabalhar sua prática pedagógica, sabemos que por muito tempo o educador foi tido como o detentor de pleno conhecimento, a ele eram incumbidos todo o controle e administração do trabalho pedagógico. E foi a partir dessa idéia, que se permeou a ação educativa durante muitos anos. Obviamente que muitos modelos de aprendizagem surgiram e foram legitimados e implementados na prática dos educadores de modo descontextualizado e fora da realidade sócio-cultural e econômica da comunidade escolar. No entanto, se faz necessário uma reflexão mais ampla sobre como tem sido a dinâmica dos educadores no ambiente escolar, e quais impactos da sua ação educativa. Diante desse quadro de complexidade entre o prazer de ensinar e a responsabilidade desta profissão, foram analisados os trabalhos dos docentes de duas instituições públicas e uma particular de ensino do estado de Goiás.

Continuar lendo A Responsabilidade Da Prática Pedagógica Do Educador

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn

O Brincar na Educação Infantil: Jogos, Brinquedos e Brincadeiras – Um Olhar Psicopedagogico

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn
Fabiane Das Neves Fantacholi

Resumo

O presente artigo visa analisar a importância do brincar no desenvolvimento e aprendizagem na educação infantil, sob a visão psicopedagógica. Tem como objetivo conhecer o significado do brincar, conceituar os principais termos utilizados para designar o ato de brincar, tornando também fundamental compreender o universo lúdico, onde a criança comunica-se consigo mesma e com o mundo, aceita a existência dos outros, estabelece relações sociais, constrói conhecimentos, desenvolvendo-se integralmente, e ainda, os benefícios que o brincar proporciona no ensino-aprendizagem infantil. Ainda este estudo traz algumas considerações sobre os jogos, brincadeiras e brinquedos e como influenciam na socialização das crianças. Portanto, para realizar este trabalho, utilizamos a pesquisa bibliográfica, fundamentada na reflexão de leitura de livros, artigos, revistas e sites, bem como pesquisa de grandes autores referente a este tema. Desta forma, este estudo proporcionará uma leitura mais consciente acerca da importância do brincar na vida do ser humano, e, em especial na vida da criança.

Continuar lendo O Brincar na Educação Infantil: Jogos, Brinquedos e Brincadeiras – Um Olhar Psicopedagogico

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn

Inteligências Múltiplas – A teoria na prática da educação infantil

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn
MARTINS, Beatriz Prado

Resumo

O presente estudo teve como interesse investigar a Teoria das Inteligências Múltiplas de Howard Gardner e propor estratégias de ensino que podem contribuir para ampliar as possibilidades de aprendizado desde os primeiros anos escolares, (mais especificamente, para crianças de quatro a seis anos, na Educação Infantil). Gardner elaborou esta teoria para explicar que a inteligência é a habilidade para resolver problemas ou criar produtos valorizados em um ou mais cenários culturais. Sugeriu ainda que não haveria uma única inteligência, mas múltiplas inteligências que só se desenvolvem se valorizadas e estimuladas pelo ambiente. Nos estudos mais recentes, o autor acrescentou novos tipos de inteligências, o que tem motivado outras pesquisas em busca de novas habilidades, porém o foco deste artigo serão as sete primeiras destacadas na teoria. Para que as escolas formem pessoas preparadas para pensar, para raciocinar e resolver problemas, é preciso que o processo educativo seja estimulante, oferecendo um ambiente escolar que estimule o desenvolvimento de todas as inteligências, garantindo uma aprendizagem significativa.

Continuar lendo Inteligências Múltiplas – A teoria na prática da educação infantil

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn

Ética na Família, na Educação e seus Reflexos na Vida em Sociedade

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn
Maria Del Carmen E. Ferreira

Resumo

Este trabalho é fruto da reflexão sobre a importância do ensino da ética moral e das relações de respeito entre os seres humanos, ou seja, mais do que isso, é ter atitudes éticas diante dos filhos, dos alunos e da sociedade como um todo. Como nós, profissionais da Educação, podemos contribuir para que os valores éticos e morais não fiquem esquecidos, mas sejam resgatados, valorizados? Ao discutir este tema quero propor uma reflexão, e ao mesmo tempo, fazer um resgate dos valores morais herdados de nossa própria cultura, recebidos através dos processos formais e informais de educação. Objetivando sensibilizar as famílias, professores e todos os indivíduos ao conhecimento destes valores em suas práticas pessoais cotidianas. Proporcionando assim um bom convívio social.

Continuar lendo Ética na Família, na Educação e seus Reflexos na Vida em Sociedade

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn

Psicopedagogia na Educação Superior: uma perspectiva de atuação no cotidiano acadêmico

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn
Emerson Luiz De Castro

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar as possibilidades de atuação do psicopedagogo na Educação Superior. Por meio de pesquisa bibliográfica, apresenta as peculiaridades deste nível de ensino ao abordar os conceitos de Andragogia e Psicoandragogia. Discorre ainda sobre as dificuldades de aprendizagem nesse âmbito do processo de escolarização. O interesse em pesquisar sobre o tema surgiu de uma demanda identificada no próprio ambiente de trabalho. A prática vivenciada no cotidiano da Coordenação do Curso de Direito de uma Instituição de Ensino Superior levou-nos a conjecturar sobre a necessidade de um psicopedagogo nesse nível educacional. Aliando os conhecimentos adquiridos no Curso de Pós-Graduação em Psicopedagogia com a vivência no Ensino Superior, pretendemos justificar a necessidade de inserção deste profissional na Educação Superior com vistas a contribuir para o sucesso acadêmico de professores e alunos

Continuar lendo Psicopedagogia na Educação Superior: uma perspectiva de atuação no cotidiano acadêmico

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn

Sobre a Sistematização e Difusão do Conhecimento Psicanalítico em Freud

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn
Sílvio Memento Machado

Resumo

Retomar a originalidade da proposta de Freud quanto à sistematização e disseminação da psicanálise tem sido tema de inúmeras discussões entre psicanalistas. O presente artigo visa resgatar elementos importantes da história e dos esforços do criador da psicanálise através de sua obra, privilegiadamente ‘A história do movimento psicanalítico (1914), e de outros autores, no sentido de organizar e difundir a sua teoria. Faz-se referência à formação das primeiras sociedades psicanalíticas e seus congressos onde as produções teóricas eram apresentadas e os rumos da psicanálise eram traçados. Conclui-se que qualquer proposta de transmissão na psicanálise só se sustenta mantendo-se a abertura para o inconsciente, o que Freud sustentou em diversos momentos de sua teoria, relegando toda e qualquer perspectiva burocrática ou de universalização.

Continuar lendo Sobre a Sistematização e Difusão do Conhecimento Psicanalítico em Freud

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn

Chegando mais cedo na escola: reflexões da Psicologia Educacional referente à Lei 11.274/06 que amplia o ensino fundamental para nove anos

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn
Janete Leony Vitorino
Ilma Borges

Resumo

Aprovada em 06 de fevereiro de 2006, a Lei nº 11.274 torna obrigatório o ensino fundamental para nove anos e determina que os Municípios, Estados e o Distrito Federal, terão até o ano de 2010 para esta implementação. A pesquisa teve como objetivo geral, analisar quais as possíveis contribuições e implicações da Lei 11.274/06 para o desenvolvimento psicológico infantil e como objetivos específicos, descrever o histórico da Lei 11.274/06 a partir de sua implementação e proposta para a educação infantil no Brasil e no estado de Santa Catarina; identificar os aspectos teórico-metodológicos relacionados ao desenvolvimento psicológico infantil presentes na Lei 11.274/06; caracterizar o significado da terminologia “políticas públicas” e o papel da psicologia no que diz respeito à sua inserção neste campo; entender os aspectos da interface da Lei 11.274/06 para o desenvolvimento psicológico infantil e educação; Identificar como as políticas públicas em educação influenciam as práticas pedagógicas. Para tanto, utilizou-se a pesquisa bibliográfica e posterior leitura reflexiva a respeito da Lei nº 11.274/06, que contempla a ampliação do ensino fundamental para nove anos, percebendo-se, que a mesma é uma ampliação e uma alteração da redação de uma Lei maior que é a nº 9394/96, ou seja, a Lei de Diretrizes e Base (LDB), que estabelece as diretrizes para a educação nacional. A partir de 1996, a educação brasileira possui uma Lei que estabelece as diretrizes para a educação, (LDB nº. 9394/96), normatizando e uniformizando o ensino, entre outras diretrizes contemplativas da educação nacional e que esta Lei incide sobre o desenvolvimento da criança indicando também que a igualdade de condições passa pela escolarização. A atuação profissional do Psicólogo educacional, em fazer interfaces com as Leis que regem a educação é fundamental, pois estas consistem em seus artigos, direitos e obrigações em relação ao indivíduo, seu desenvolvimento e formação.

Continuar lendo Chegando mais cedo na escola: reflexões da Psicologia Educacional referente à Lei 11.274/06 que amplia o ensino fundamental para nove anos

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn

Sucesso nas Meninas, Fracasso nos Meninos: o Papel dos Contextos nos Distúrbios de Aprendizagem e Gênero

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn
Janete Leony Vitorino

Resumo

Este artigo tem por objetivo realizar um levantamento bibliográfico, relacionando distúrbios de aprendizagem em meninos e meninas referentes às questões de gênero nos contextos: históricos, biológicos, sociais, educacionais, psicológicos e familiares. Mediante pesquisa, pode-se perceber quem em cada contexto mencionado, meninos e meninas atravessam processos que os diferencia, resultando, portanto, num expressivo apontamento para os meninos no que diz respeito a distúrbios de aprendizagem. O estudo é bibliográfico e não tem o a intenção de conclusões definitivas. Apresenta-se uma coletânea de dados relevantes para lançar outras preocupações e perspectivas de caráter científico no campo das dificuldades de aprendizagem relacionadas às questões de gênero.

Continuar lendo Sucesso nas Meninas, Fracasso nos Meninos: o Papel dos Contextos nos Distúrbios de Aprendizagem e Gênero

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn

Linguagem e Infância: a Literatura Infantil no Processo de Desenvolvimento da Criança Pequena

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn
Simone Alves Nepomuceno Lemos

Resumo

Este trabalho apresenta, como questão central, a importância da Literatura Infantil para o desenvolvimento da criança pequena. Partiu da concepção ampliada da linguagem, especificando a sua característica como constituidora do sujeito histórico, cultural e social e a concepção da infância enquanto categoria social. Utilizou, como arcabouço teórico, aspectos do trabalho de Vygotsky (1994) e Bakhtin (2000), além de outros autores com os quais dialogamos sobre a Literatura Infantil. Os resultados indicaram que a contação e o reconto de histórias de Literatura Infantil revelam ser uma atividade interativa, potencializadora da linguagem da criança como espaço de recuperação do sujeito ator e autor de seu desenvolvimento. As crianças, enquanto interagem no mundo dos símbolos e da fantasia, expressam suas opiniões. No que diz respeito à escuta da “voz da criança” e à interação criança-criança os dados revelaram que pouco foi dado importância pela professora.

Continuar lendo Linguagem e Infância: a Literatura Infantil no Processo de Desenvolvimento da Criança Pequena

Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn